Furnham, A. (50). ideias de Psicologia que precisa mesmo de saber. Alfragide: Publicações Dom Quixote.

28/03/2020

1. Anormal

p. 11 A psicologia clínica, é o estudo dos comportamentos anormais. Essa área analisa as origens, as manifestações e os tratamentos de distúrbios envolvendo hábitos, pensamentos ou motivações, que podem ser causados por fatores ambientais, cognitivos, genéticos ou neurológicos.

p. 11 psicopatologia - comportamento de uma pessoa irracional ou potencialmente prejudicial para ela mesma e para os outros
p. 12 Um dos critérios da anormalidade é a má adaptação ou, em outras palavras, a incapacidade de dar conta de atividades da vida cotidiana, como manter o emprego, cultivar bons relacionamentos interpessoais ou planejar o futuro.
p. 13 a anormalidade também tem uma dimensão moral, sendo associada a uma tendência a quebrar regras, violar padrões morais e ignorar normas sociais.
p.14 O maior objetivo do aconselhamento, do treinamento e da terapia é ajudar as pessoas a se tornarem mais autoconscientes.
2. efeito placebo
p. 16 placebo vem da palavra latina que significa agradar.

3. vicio 
p. 23 As drogas são usadas para entorpecer os sentimentos, amenizar estados emocionais dolorosos ou reduzir o conflito interno

4. esquizofrenia
p. 26 esquizofrenia é uma doença psicótica caracterizada por um distúrbio dos pensamentos e percepções, comportamentos e estados de espírito.
p.26 afeta uma em cada cem pessoas e é o mais grave dos transtornos mentais
p. 27 os esquizofrênicos paranoides têm delírios de controle, grandeza e perseguição e costumam desconfiar de tudo e de todos
p. 27 Os esquizofrênicos desorganizados manifestam linguagem e pensamentos bizarros, com súbitas e inadequadas explosões emocionais
p.29 tratamento- Os métodos utilizados variam de simples exortações morais a complexas técnicas comportamentais, como economias de fichas (token economies) - uma forma de modificação comportamental, controle verbal do comportamento e treinamento de habilidades sociais
5. neuroticos - psiquiatria
p. 32 o uso da psiquiatria para controlar as pessoas que se desviavam das normas sociais. (ler Szasz, O mito da doença mental
p. 32 Erving Goffman e Michel Foucault, que viram um poder diabólico na psiquiatria e em seus efeitos, como a rotulagem, a estigmatização e a hospitalização de pessoas
p. 32 1970 - pesquisadores concluíram que é impossível distinguir os mentalmente sãos dos insanos em hospitais psiquiátricos.


6. psicopatas

"transtorno de personalidade antissocial = genero

psicopata e sociopata = espécie
p. 36 A psicopatia é um transtorno de personalidade caracterizado por pessoas que não têm consciência e são incapazes de empatia, culpa ou lealdade a qualquer pessoa a não ser elas mesmas

p. 36 Os psicopatas em geral tendem a ser impulsivos e irresponsáveis, com poucos objetivos claros, pouco controle comportamental, com relacionamentos superficiais, não seguem qualquer sistema de valores ou metas para o futuro, evitam estabilidade e rotima.


p.36 sociopatia é é um distúrbio não psiquiátrico e se refere a pessoas antissociais e criminosas que seguem as normas de uma determinada subcultura.

7. estresse

p. 42 neuróticos - sofrem de "afetividade negativa" - uma mistura de ansiedade, irritabilidade, neuroticismo e autodepreciação - tendem a ser menos produtivas, menos satisfeitas com o trabalho e mais propensas ao absentismo.


8. ilusões visuais

p. 47 A percepção é o processo pelo qual reconhecemos o que é representado pelas informações transmitidas ao cérebro pelos nossos órgãos dos sentidos


inteligência - efeito flynn

p. 101 Segundo as pesquisas, as pessoas acreditam que toda geração parece ganhar cerca de 4 a 6 pontos de QI. Então, os seus pais são/foram mais inteligentes que os seus avós, e os seus filhos são/serão mais inteligentes que você. A cada dez ou quinze anos, vemos um salto do QI nacional


parou p. 130