Neuroplasticidade Cerebral - Udemy

01/05/2018

A primeira parte do curso trata da importância de ativar o cérebro através de novas sensações e comportamentos. Pesquisa realizada comparou ratos sozinhos sem estimuladores e ratos acompanhados de outros ratos e com estimuladores e demonstrou que o segundo grupo de carros desenvolveu muito mais o cérebro e a rede neural. Essa pesquisa resultou na comprovação que para aprimorar a rede neural são necessários três espécies de estimuladores: estimuladores sociais, estimuladores motores e estimuladores sensoriais.

Os estimuladores sociais estão relacionados com a necessidade de vida social e interação, logo com o passar dos anos normalmente a interação social entre as pessoas mais idosas vai diminuindo, seja pela redução de contato de amigos e entes queridos, seja pela morte deles e a falta dessa interação apresenta grande perda para a atividade cerebral.

Outro estimulo identificado foi o estimulo motor, que corresponde a necessidade de criarmos e desenvolvemos novos movimentos constantes. Para esse aprimoramento cientistas desenvolveram a teoria da inversão, que corresponde a inversão dos movimentos rotineiros, como por exemplo escovar os dentes sem a sua mão dominante, vestir-se usando apenas uma mão, escrever com a outra mão e etc. 

Por fim temos a estimulação sensorial, que pode ser estimulada aguçando-se os sentidos. Uma forma simples de fazer isso seria realizar tarefas diárias com os olhos fechados, seja tomar banho, trocar de roupa, pois a não utilização da visão, necessariamente fará aguçar os outros sentidos. 

Portanto através da estimulação social, sensorial e motora é possível aumentar a neuroplasticidade cerebral e desenvolver novas conexões e sinapses.